Sobre

¡Hola! ¿Qué haces?

Por muito tempo (muito, muito tempo) sonhei com a ideia de ter um blog para finalmente criar um espaço onde eu pudesse compartilhar as coisas que me passam pela cabeça. Se eu fizesse uma comparação, poderia dizer que meu cérebro trabalha como a Marquês de Sapucaí em dias de desfile de Carnaval, onde os meus pensamentos são os pessoas – as que desfilam e as que assistem, rs.

Tem uma frase que costumo dizer aos meus queridos: “Alegria compartilhada é alegria redobrada”. Eu me sinto muito feliz quando fico sabendo das realizações daqueles que eu amo. Sinto que o universo é tão maravilhoso que não basta a felicidade corriqueira pelas minhas minhas conquistas, ele me presenteia também através das coisas boas que acontecem ao meu redor e não diretamente para mim.

Como nem tudo são flores e “a vida é uma caixinha de surpresas” (parafraseando a história de Joseph Climber, rs), às vezes passamos por períodos nem tão bons assim. Seguindo a mesma lógica, quando podemos compartilhar com alguém o que estamos sentindo, acredito que toda a tristeza é dividida (não multiplicada), o que torna um pouco menos difícil lidar com os percalços da vida.

Tá, mas e aí, Edurne?

E aí que a ideia do Blog é essa!

Ele te faz uma pergunta (que também é retórica para essa que vos escreve, rs): “Oi! E aí?” ou ainda “E aí, o que tá rolando?” ou “Falaaaaa! Qual é a boa?” ou, em tradução quase literal do espanhol: “Oi! O que tá fazendo?” ♥

É uma pergunta vaga, que permite uma série de respostas. E é isso que você irá encontrar aqui no blog: uma série de assuntos. Porque a gente gosta de tudo. A vida tem taaaantas opções! Pra quê se limitar?

Vamos falar de histórias (muitas), pessoas, viagens (quem não gosta?), livros, TV, seriados, sentimentos, relacionamentos, trabalho, carreira, faculdade ou, mais especificamente: tudo que for possível falar nessa VIDA!


E a garota do nome diferente?

É, “nome diferente”, “nome estranho”, “nunca ouvi esse nome”, “Edu…quê?” – essa sou eu, rs.

Já te explico a origem: meu avô é um espanhol que veio há mais de 50 anos para o Brasil. Quando eu nasci, ele, minha avó e meus pais decidiram que eu me chamaria assim. E, sinceramente, graças a Deus! Amo meu nome e tudo que ele representa.

Edurne é um nome de origem vasco e significa “neve, pureza e brancura” em euskera, idioma do País Vasco. Algo que seria entendido como “branca e pura como a neve”. Minha avó sempre completou o significado dizendo que eu era uma flor, uma flor “branca e pura” que nascia entre as rochas e a neve e permanecia, entre as espécies mais selvagens, a mais bonita. O quanto disso é verdade e o quanto disso é carinho é indiferente para mim, rs.

Sou formada em jornalismo e curiosa por natureza.

Estou muito feliz que você tenha chegado até aqui. Obrigada! ♥